30.9.17

Almoço na casa do Pepe Laytano

Pepe com a mão na massa - Foto E.P.L.

Com fotos da Claudinha, nosso almoço na casa do casal Pepe Laytano

Crônica diária



A pena do Aécio já é maior do que a do Lula

Por que será que o Lula ainda não foi preso? Nem obrigado a usar tornozeleira ou proibido de sair de casa a noite, e de falar com quem quer que seja. Os crimes a que os dois estão sendo acusados são de tamanho e natureza diversos. A quantidade de processos contra um e outro são muito diferentes. O andamento dos processos criminais no caso do Lula estão mais adiantados do que os de investigação do Aécio. Até o moimento ainda não é réu. É investigado. Mas esta proibido de exercer as funções de Senador, e não pode sair de casa a noite. Como se não pudesse fazer de dia, o que o impedem que faça a noite. Por exemplo: falar com a irmã, investigados no mesmo processo. Não quero aqui defender o ex-presidente dos tucanos. Acho que se crimes cometeram, devem pagar exemplarmente por eles. O que me pergunto é por quê o Lula, réu condenado em primeira instância, que obstrui as investigações e a justiça o tempo todo, que atenta contra a Lava Jato abertamente, e que repetidas vezes levantou a suspeição do impoluto juiz Sérgio Moro, ainda esta solto? Acaba de fornecer recibos com datas inexistentes, assinados por indivíduos fora do país nas datas de alguns recibos? Claro que são falsos como cabelo de peruca. Mas continua livre dia e noite para em caravanas pelo Brasil fazendo proselitismo mediúnico falando da dona Marisa. A lei deve ser igual para todos. No caso do Lula há uma nítida má vontade em prende-lo. Ou será medo, receio? Assim como defendo a imediata renúncia do Temer e de seus ministros mais chegados, todos delatados pelos irmãos Batista, defendo a prisão dos Sarneys, dos Delcídios, dos Cabrais, dos Cunhas, dos Renans, dos Paloccis, dos Aécios, dos Dirceus, dos Barbalhos, dos Jucás, e tantos outros citados pelos irmãos açougueiros, e pelos empreiteiros delatores que lhes abasteceram de dinheiro vivo em malas, mochilas, apartamentos, e contas no exterior. Os delatores não estão mentindo. Não estão forjando recibos agora. O que não querem é ficar presos e os beneficiários da corrupção e chefes das quadrilhas soltos dia e noite.

Comentários que valem um post




João Menéres deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Turcios gostou":

Parece-me genial !

Postado por João Menéres no blog . em sexta-feira, 29 de setembro de 2017 04:49:00 BRT 

*****************************************************
 
João Menéres deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Acodei com essa":

Nunca conseguiria descrever o Eduardo com tal perfeição, como fez o Alvaro Abreu !

Postado por João Menéres no blog . em sexta-feira, 29 de setembro de 2017 04:53:00 BRT 

**************************************************************************

29.9.17

Crônica diária

Nunca diga dessa água não beberei

A frase era dita pela minha mãe. Foi assim que meus três irmãos e eu fomos criados. E comida na mesa era para ser comida. Criança não podia dizer "não gosto". Ela dizia :"você não comeu, como diz não gosto?" E crescemos comendo de tudo. Depois de adulto fomos elegendo os alimentos mais ou menos favoritos. Entre os que evito esta a berinjela. Não é o único, pois chuchu não tem gosto de nada, abobrinha só gosto fatiada e frita, e quiabo não como definitivamente. Jaca também não. Mas fui almoçar na casa do chef Pepe Laytano e logo na entrada perguntou se eu gostava de berinjela. Como vi umas tantas fatias dela num prato, e como sou educado, antes de totalmente honesto, menti: "gosto". A entrada de pão italiano caseiro, com óleo vindo da família do Pepe, na Itália, e uma pasta de berinjela, muito bem condimentada, e com pimenta calabresa a gosto do comensal. Como prato principal um nhoque de batata doce, preparado na hora, com molho de pesto, e acompanhando a berinjela maravilhosa. Queijo importado, o recheio sobre a casca da berinjela, coberta de extrato de tomate e queijo ralado. Tudo crocante, dos deuses. Pagando com a língua. Lembrei da frase da minha mãe:"nunca diga dessa água não beberei."

Turcios gostou


Acordei com essa


 Bom dia, Eduardo,

Segue cópia do que mandei para meus parentes mais diretos e agregados de primeira linha.

Grande abraço.

Alvaro Abreu

Bom dia,

Como de costume, tomei remédio para minha tireoide preguiçosa e vim ler as novidades.
Depois de conferir as caixas postais daqui e da TECMARAN, fui direto para o Varal de Ideias, um delicioso blog de meu amigo de tempos recentes Eduardo Lunardelli, lá de São Paulo, que passa longas temporadas na sua casa no litoral de Santa Catarina, bobo que não é. 
Eduardo é pessoa completamente fora do usual. Pintou até não poder mais com as tintas, fez esculturas de muitos tipos (nestes últimos tempos se dedica a produzir montanhas em sequencia), caricaturista generoso e, por vezes, malvado, é um cronista de mão cheia. Ele escreve diariamente sobre assuntos triviais e inimagináveis, sempre com visão generosa da vida, muitas vezes saudoso de tempos melhores, emitindo opinião com coragem. Gosta de participar de concursos literários de gêneros variados, inclusive contos e poesias e quase consegue ganhar prêmio. Já publicou mais de meia dúzia de livros que gostaria de vender, mas que manda de presente para amigos do peito, para seguidores distantes e para quem mais imagine possa gostar de ler o que escreve. É um pai coruja e avô presente e carinhoso. Defeitos, como todos nós, deve ter muitos que não conheço. É do tipo que comete pecados veniais com boa frequência, como a de inveja criativa e generosa, conforme fica provado na crônica que fez publicar hoje no seu Varal de Ideias (http://cimitan.blogspot.com.br/ ). 

Boa leitura.

Alvaro Abreu
Ao que respondi: Alvaro, sua generosidade só faz aumentar minha "inveja" . 
Forte abraço,

28.9.17

Pézão, Governador do Rio de Janeiro

Setembro 2017

Crônica diária

Sou um invejoso

Acordei com a certeza de que sou invejoso. Inveja da boa, do bem. Inveja construtiva, positiva. Inveja altruísta, amigável. Inveja de aplauso e admiração. Uma tentativa de ser uma pessoa melhor. Poderia usar outra palavra, menos mesquinha, para definir esse tipo de inveja que soa pejorativamente. Poderia usar "admirador", fã, tiete, pupilo, seguidor, ou coisa parecida. E desse tipo de inveja tive a vida toda. Quando garoto queria ser Picasso nas artes, Guimarães Rosa na literatura, depois descobri Rubem Braga e Luiz Martins nas crônicas, Carlos Lacerda como orador e político, Fellini, Wood Allen, e Clint Eastwood no cinema e na música. Bem que tentei ambos. Nesta ultima a experiência foi melancólica. Gostaria de ter sido um Fred Astaire na dança e não passei do sábado para as quartas-feiras nas aulas de dança da Madame Poços Leitão, onde cansei de pisar nos pés das meninas. Agora aos setenta e quatro anos invejo os avós como o Álvaro Abreu. Gostaria de estar fazendo perna-de-pau para os meus seis netos. E em quantidade o Alvaro, esta semana, me passou, com o nascimento do Antonio, seu sétimo neto. Mas gostaria de estar comprando "pios tipo cruzeta, feitos para chamar inhambu chororó, que os mestres de bateria costumam usar para fazer a marcação do samba na avenida", como fez o Alvaro para seu neto de dois anos e meio. Ou fazendo flauta, ou helicóptero de bambu. Gostaria de ser um avô paciente, presente e querido dos meus netos. Um avô como são os aposentados nas provincianas cidades do interior. Ensiná-los os nomes das flores, pássaros e árvores, corrigindo suas dicção. Ensina-los a escovar os dentes, engraxar e fazer os laços dos sapato, e colocar o botão na casa da camisa. Depois juntar moedas para colocarem no cofrinho. Coisas que farão pelo resto da vida e lembrarão para sempre do avô carinhoso e amoroso que tiveram.

Comentários que valem um post



sonia a. mascaro deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Novas montanhas":

Eduardo, certamente vai ficar uma beleza!
Esculpindo a sua vigésima quarta montanha! Criatividade e produtividade!
Parabéns!
Bjs.

Postado por sonia a. mascaro no blog . em quarta-feira, 27 de setembro de 2017 15:26:00 BRT 

******************************************************** 

sonia a. mascaro deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Prêmio do CNNP Concurso Nacional de Novos Poetas 2...":

Gostei muito!
Parabéns Eduardo!

Tenho lido e relido muito das suas crônicas, e ontem mesmo ri muito com o seu humor, na crônica 297, "Sala de Embarque", do livro "O diabo desse anjo", que por si só é um título saboroso. Quem não leu deve ler e quem já leu, reler!
Bjs.



Postado por sonia a. mascaro no blog . em quarta-feira, 27 de setembro de 2017 15:37:00 BRT 

********************************************************** 

sonia a. mascaro deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Desenho do João, meu neto":

Muito bonito João! As cores, a composição e a expressividade.
Parabéns!
Bjs.

Postado por sonia a. mascaro no blog . em quarta-feira, 27 de setembro de 2017 15:42:00 BRT

*****************************************************************

sonia a. mascaro deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Gloria, uma nova escritora na família":

Gostei de ver a Glória (como está grande) escrevendo numa máquina de escrever! Como disse o João, qualquer dia ela vai escrever a Crônica do Dia.

Me lembrei na hora de uma crônica que o Mário Prata publicou, de um texto da escritora Lúcia Carvalho. Desculpe o tamanho do comentário... Colei parte do texto, que vale a pena.

Os filhos da Lúcia na casa de uma tia encontraram uma máquina e ficaram animadíssimos. "- Mãe. A gente achou uma coisa incrííível. Se ninguém quiser, essa coisa pode ficar para a gente?
— É só uma máquina meio velha. É, mas funciona, está ótima! A gente, zupt, escreve e imprime, até dá para ver a impressão tipo na hora, e não precisa essa coisa chatérrima de entrar no computador, ligaaar, esperar hóóóras, entrar no world, de escrever olhando na tela e sóóó depois mandar para a impressora, não tem esse monte de máquina tuuudo ligada uma na outra, não tem que ter até estabilizador, não precisa comprar cartucho caro, nada, nada, mãe! É muuuito legal. E nem precisa de colocar na tomada! Funciona sem energia e escreve direto na folha da impressora!"

Pois era assim que eu escrevia quando trabalhava na Última Hora e na Revista Claudia...

Postado por sonia a. mascaro no blog . em quarta-feira, 27 de setembro de 2017 16:31:00 BRT 

*****************************************************************

27.9.17

Novas montanhas

 Duas novas MONTANHAS.
MONTANHA com duas árvores

Crônica diária


Uma visita inesperada
 
Eu estava com a mão, agora de luvas, literalmente na massa de cimento, argila e vermiculita, esculpindo a minha vigésima quarta montanha, quando a Claudinha chegou acompanhada de um casal. Ela é velha e boa amiga. O casal, a quem fui apresentado, levou uns poucos minutos andando pelo atelier, comentando sobre as obras que viam, e a Claudinha chamando atenção para esta ou aquela peça. Ela é super amiga, e portanto, gosta de quase tudo que faço. Convidei-os para sentar, e agora percebo, não ofereci nada para beberem. Acho que pelo horário. Eram dez da manhã. Muito cedo para cerveja, mas uma água ou refrigerante eu deveria ter oferecido. A verdade é que começamos a falar sobre as esculturas, e fomos nos entusiasmando com a conversa, e o tempo passou. Quando a conversa é boa, o resto não importa. É muito bom conhecer gente informada e inteligente. Três horas e meia depois saíram com a promessa de retornarem. Ficamos amigos. E para aqueles que reclamaram sobre minha crônica sobre os gaúchos, os três são de Porto Alegre.

26.9.17

Prêmio do CNNP Concurso Nacional de Novos Poetas 2017



O guarda-chuva



O guarda-chuva
 estava aberto
 com o vento
rodopiou e
acabou
com a abóbada para baixo
e o cabo para cima
A chuva voltou
e encheu-o de água
como um
aquário redondo
Pela primeira vez
fez jus ao seu nome.


Eduardo Penteado Lunardelli

Entre 3207 inscritos meu poema acima classificou se entre os 250 que serão impressos no livro correspondente ao CNNP 2017

Os netos não param de chegar

A semana passada o Felipe neto do amigo Nelson de Souza, que gentilmente enviou este varal, e o Antonio, neto do casal Carol e Álvaro Abreu, que nos brinda com suas crônicas neste blog. Parabéns a ambos e aos pais das crianças.

Crônica diária



Rebobinando histórias de tabaco

Rebobinar a fita é coisa do passado. Rebobinavam-se filmes super-oito e dezesseis milímetros, nos projetores caseiros. Nos cinemas do interior havia intervalo para rebobinar e trocar de rolo. E nos toca-fitas de antigamente, também era preciso rebobinar. Hoje vou fazer um texto do fim para o começo. Como se rebobinavam as coisas antigamente. Do tempo que fumar charuto era permitido em todos os lugares. Deixei de fumar cigarro aos vinte e poucos anos fumando um charuto por dia. Fumava depois do jantar, onde eu estivesse. Em casa preferencialmente, mas em restaurantes, ou na casa de amigos. E pensar que já foi permitido fumar a bordo de aviões comerciais. Mas esse é o fim da história. Um pouco antes charuto era símbolo de status, e no meu caso uma recomendação exitosa do amigo Thomaz Souto Corrêa para largar o cigarro. Depois de alguns anos deixei também os charutos. Dessa época ainda tenho uma linda caixa de madeira, com umidificador, e dois ou três Cohibas que sobraram. E é dessa época também a história que Fidel contava porque não largava o velho e bom charuto cubano: "Para os russos não me beijarem na boca". Hoje, e chegando ao fim da crônica, é totalmente vedado fumar em qualquer espaço fechado, em quase todo o mundo. Cigarros, muito menos, charutos e cachimbos não são bem vistos. No entanto há em São Paulo dois ou três bares e restaurantes onde quem não fuma charuto é olhado com desconfiança. E quem lá frequenta sai com forte cheiro de tabaco nos cabelos e na roupa. Fumar ficou difícil, complicado e antigo.

AS POSTAGENS ANTERIORES ESTÃO NO ARQUIVO AÍ NO LADINHO >>>>>

.

Only select images that you have confirmed that you have the license to use.

Falaram do Varal:

"...o Varal de Ideias é uma referência de como um blog deve ser ." Agnnes

(Caminhos e Atalhos, no mundo dos blogs)

..."parabéns pelo teu exemplo de como realmente se faz um blog...ou melhor tantos e sempre outstandings...".
(Vi Leardi )

Leiam também:

Leiam também:
Click na imagem para conhecer

varal no twitter

Não vá perder sua hora....

Blog não é tudo, tudo é a falta do blog ....
( Peri S.C. adaptando uma frase do Millôr )
" BLOG É A MAIOR DAS VERTIGENS DA SUBJETIVIDADE " - Maria Elisa Guimarães, MEG ( Sub-rosa )